Atualmente a Terapia Manual é bem conhecida entre os fisioterapeutas, porém muitos pacientes acreditam que ao irem para o tratamento de fisioterapia irão realizar somente a eletroterapia (TENS, Ultrasom, Laser) e/ou orientações de exercícios.

Estas modalidades são garantidas em muitos casos e muitos fisioterapeutas concordam que o exercício é necessário para ajudar a restaurar os desequilíbrios musculares.

No entanto, outros fisioterapeutas estão com uma abordagem diferenciada, na qual o objetivo é a restauração funcional através do entendimento acerca do motivo pelo qual o músculo não está funcionando da forma correta.

Assim primeiro corrige-se a causa da disfunção com a Terapia Manual e posteriormente utilizam-se os exercícios como complemento ao tratamento.

Terapia Manual é uma especialização da fisioterapia cuja base do tratamento é o trabalho com as mãos. Nela os profissionais usam suas mãos para pressionar o tecido muscular e manipular as articulações na tentativa de diminuir a dor causada por espasmo muscular, tensão muscular e disfunção articular.

Terapia Manual como Tratamento

Todos os fisioterapeutas têm a opção de usar a Terapia Manual em suas práticas, porém para isso (sensibilidade ao toque) é necessário investimento em cursos, e muita prática a fim de conseguir uma boa “manipulação”.

Por outro lado, os pacientes devem estar cientes de que é uma técnica da fisioterapia pouco conhecida entre os médicos e que tal terapia é mais evidente na melhora do seu movimento ou no alivio da dor, não acusando muitas vezes, grandes alterações nos exames laboratoriais ou de imagem.

Terapia Manual e o Alívio da Dor Aguda e Crônica nas Costas.

A Terapia Manual é utilizada no tratamento das articulações que precisam de mobilidade e amplitude de movimento (ADM) adequadas em certas condições músculo- esqueléticas.

A limitação de movimento articular pode causar desconforto, dor e uma alteração na função, postura e movimento global. Tal procedimento restaura a mobilidade das articulações rígidas e reduz a tensão muscular, a fim de retornar ao paciente um movimento natural e indolor.

O que proporciona o alívio da dor crônica ou aguda, envolvendo problemas articulares ou musculares, como disfunção sacro ilíaca e dor nas costas aguda devido a tensão muscular lombar.

As técnicas manuais de fisioterapia visam relaxar os músculos e articulações bloqueadas, no sentido de diminuir a dor nas costas e aumentar a flexibilidade.

Em geral, as técnicas de fisioterapia manual empregam os seguintes tipos de movimento:

  • Liberação do Tecido Mole, incluindo massagem, que aplica pressão nos tecidos moles do corpo, como os músculos. Essa pressão ‘ ajudar a relaxar os músculos, aumentar a circulação, quebrar o tecido cicatricial e aliviar a dor nos tecidos moles.
  • Mobilização / Manipulação Articular, que utiliza movimentos medidos de velocidade variável (lenta a rápida), força (suave a forte) e distâncias (chamadas ‘amplitude’) para torcer, puxar ou empurrar os ossos e articulações em posição. Isso pode ajudar a afrouxar tecidos apertados em torno de uma articulação, reduzir a dor em uma articulação e tecido circundante, e ajudar com flexibilidade e alinhamento.

Técnicas Específicas da Terapia Manual

Antes de iniciar a terapia manual ou qualquer tipo de fisioterapia, o fisioterapeuta realiza uma avaliação completa para decidir se há ou não um risco aumentado de complicações decorrentes do uso dessas técnicas de manejo da dor.

Dependendo dos resultados dessa avaliação e de cada situação particular do paciente, o profissional pode realizar alguns ou uma combinação dos seguintes tipos de fisioterapia manual:

1. Liberação dos Tecidos Moles

É importante reconhecer o papel dos músculos e seus acessórios ao redor das articulações.

Ao restaurar a mobilidade da articulação, a tensão muscular também tende a diminuir, mas em muitos casos ela continuará alta; se este for o caso, será necessária uma abordagem especifica para liberação muscular, senão a disfunção articular pode retornar.

O objetivo da liberação de tecidos moles é romper o tecido muscular inelástico ou fibroso (chamado de “aderências miofasciais”), como tecido cicatricial de uma lesão nas costas, mover fluidos do tecido e relaxar a tensão muscular. Este procedimento normalmente é aplicado à musculatura ao redor da coluna vertebral, e consiste em alongamento rítmico e em pressão profunda.

O terapeuta localizará a área de maior restrição tecidual através da avaliação camada a camada. Uma vez identificadas, essas restrições podem ser mobilizadas com uma ampla variedade de técnicas. Estas técnicas envolvem frequentemente a aplicação de uma força de tração na área apertada como uma tentativa de restaurar a textura normal ao tecido e para reduzir a dor associada.

2. Alongamento

Esta técnica foca na correção dos reflexos neuromusculares anormais que causam problemas estruturais e posturais, resultando em dolorosos “tender points”.

O fisioterapeuta encontra a posição de conforto do paciente perguntando a ele em que ponto a dor diminui. O paciente é mantido nesta posição de conforto por cerca de 90 segundos, durante a qual a tensão assintomática é induzida através de alongamento suave e, em seguida, lentamente tirada desta posição, permitindo que o corpo reajuste seus músculos a um nível normal de tensão. Essa tensão normal nos músculos estabelece o estágio para a cura.

Esta técnica é suave o suficiente para ser utilizada em pacientes com dores agudas nas costas.

A contra- tensão é bem tolerada, especialmente na fase aguda, porque posiciona confortavelmente o paciente.

3. Mobilização Conjunta

Os pacientes normalmente são diagnosticados por aumento da tensão muscular nas costas e são instruídos a tratá-lo com descanso, gelo e massagem. Ao fazer isso, os pacientes tendem a apresentar uma melhora, porém a dor muitas vezes retorna, porque o espasmo muscular ocorre em resposta a um bloqueio articular.

A mobilização articular realiza o afrouxamento da articulação que esta bloqueada, assim há um aumento da sua amplitude de movimento, através de movimentos lentos com alta amplitude.

As mobilizações sempre devem ser indolores (a menos que o operador se aproxime da barreira de forma muito agressiva).

4. Técnicas de energia muscular

As técnicas de energia muscular são projetadas para mobilizar articulações restritas e alongar os músculos encurtados.

Este procedimento é definido como a utilização de uma contração voluntária dos músculos do paciente contra uma força contrária realizada pelo fisioterapeuta.

Após uma contração de 3-5 segundos, o fisioterapeuta leva a articulação para sua nova barreira onde o paciente novamente executa uma contração muscular. Isto pode ser repetido duas ou mais vezes.

Esta técnica é considerada um procedimento ativo em oposição a um procedimento passivo onde o fisioterapeuta faz todo o trabalho (como mobilizações conjuntas).

Técnicas de energia muscular geralmente são bem toleradas pelo paciente e não estressam’ a articulação.

5. Manipulação Articular ou “Trust”

O objetivo deste procedimento é restaurar o movimento de das articulações, de forma que elas tenham um deslizamento eficaz, sem bloqueios.

É uma técnica, mais agressiva do que aquelas que simplesmente utilizam-se de movimentos lentos e rítmicos para ganhar movimento ou aliviar a dor, esta técnica consiste em levar a articulação até o ponto que ela encoste no local onde a barreira de movimento existe, e neste momento, deve-se empurrar de forma rápida e firme, porém o cuidado é imenso, pois não pode ultrapassar o limite normal de movimento da articulação. Se utilizado corretamente, haverá uma melhora da mobilidade e uma diminuição da tensão muscular.

Esta técnica é utilizada para a restauração do movimento articular e não move uma articulação além de seu limite anatômico normal. Portanto, não ocorre dano estrutural e o paciente não deve ter um aumento na dor após o tratamento.

Manutenção do Alívio da Dor nas Costas a Longo Prazo

Para continuar o processo de cicatrização e prevenir a dor recorrente, os pacientes com dor nas costas são encorajados a participar de outros tratamentos adequados (incluindo um programa de exercícios) durante e após o tratamento de Terapia Manual.

Programas de Terapia Manual para dor nas costas geralmente incluem exercícios de alongamento e fortalecimento e condicionamento aeróbico de baixo impacto, e devem incluir um programa de exercícios de manutenção razoável para os pacientes fazerem por conta própria. O objetivo é manter o nível de atividade certa para evitar que a dor retorne, não havendo à necessidade de frequentes retornos ao fisioterapeuta.

Conclusão: Terapia Manual para o Alívio da Dor

A Terapia Manual para o Alívio da Dor pode ser feita através de diversas técnicas. As técnicas que mais utilizo em meu consultório é a Liberação Muscular, a Mobilização Articular , a Reeducação Postural Global (RPG) e a aplicação de KnesioTape.

Precisamos ressaltar que o mais importante é fazer uma abordagem integrativa do paciente visando o atendimento completo e sustentável.

Gostou das Dicas sobre Terapia Manual para o Alívio da Dor?

Estou curiosa para saber o que achou sobre este post.

Deixe seu comentário para eu saber sua opinião e assim eu poder melhorar a cada dia meus posts, pois eles são feitos especialmente para você.

Terapia Manual para o Alívio da Dor da Coluna Vertebral
4.6 (92%) 5 votes